Sobre a Melancolia

  • Clara Pracana Instituto Superior Miguel Torga
  • Ana Almeida
Palavras-chave: melancolia, luto, psicanálise, narcisismo, criação artística

Resumo

A melancolia é relacionada com a depressão profunda e o luto patológico, mas apresenta também uma relação com o narcisismo que os outros dois processos não possuem. A perda, na melancolia, é uma perda narcísica, seja de um objeto, ou de uma parte do sujeito, conforme a auto-estima é gravemente atingida, desencadeando, de modo frequente, desenvolvimentos auto-destrutivos preocupantes. Ao longo dos séculos, artistas e pensadores privilegiaram um ou outro aspeto da melancolia, muitas vezes pretendendo reconhecer uma conexão do estado de melancolia com inteligência e genialidade criativa. A verdade, porém, é que a melancolia nem sempre vem associada à genialidade e à inteligência fecunda. Muitas vezes, e por oposição à mania, consiste numa apatia estéril e auto-destrutiva que pode pôr em perigo o próprio Eu. 

 

On Melancholy

Melancholy is related to deep depression and pathological mourning, but it also has a relation to narcissism which is absent in the depression and mourning processes. Loss in melancholy is a narcissistic one, whether of an object or of a part of the subject, as self-esteem is gravely hit, unleashing, in a frequent way, preoccupying self-destructive developments. Over the centuries, artists and thinkers favoured one aspect or another of melancholy, often intending to recognize a connection of the state of melancholy with intelligence and creative geniality. The truth, however is that melancholy is not always associated to geniality and fecund intelligence. Often, as opposed to mania, it consists in a sterile and self-destructive apathy which may endanger the Ego itself.

 

Keywords: Melancholy, mourning, psychoanalysis, narcissism, artistic creation.

Publicado
2016-12-31
Como Citar
Pracana, C., & Almeida, A. (2016). Sobre a Melancolia. Interações: Sociedade E As Novas Modernidades, (31). Obtido de https://www.interacoes-ismt.com/index.php/revista/article/view/391
Edição
Secção
Artigos