Melanie Klein’s Concept of Counter-Transference Taken from Unpublished Material

  • Esmeralda Macedo Instituto Superior Miguel Torga
  • Carlos Amaral Dias Instituto Superior Miguel Torga
Palavras-chave: Melanie Klein, contra-transferência, processo psicanalítico, relação psicanalítica, Bion

Resumo

Este artigo é acerca do conceito de contratransferência em Melanie Klein, baseado em material não publicado. Klein considerava os sentimentos do psicanalista em relação ao paciente como algo negativo, interferindo com o processo psicanalítico. Contudo, alguns dos seus seguidores, particularmente Herbert Rosenfeld and W. R. Bion, mostraram que os sentimentos do psicanalista poderão ter também uma forma benigna e crucial para a relação psicanalítica. Na verdade, Melanie Klein também compreendeu a existência daquela dimensão benigna, expressa nas suas ideias de ‘desejo de conhecer’ e ‘empatia’, mesmo se ela não desenvolveu estes conceitos na sua obra publicada.

 

Melanie Klein’s Concept of Counter-Transference

Taken from Unpublished Material This article is about Melanie Klein’s concept of counter-transference based on some unpublished material. Klein considered the psychoanalyst’s feelings regarding the patient as something negative, interfering with the psychoanalytic process. However, some of her followers, particularly Herbert Rosenfeld and W. R. Bion showed that the psychoanalyst’s feelings could also have a benign form crucial to the psychoanalytic relationship. In fact, Melanie Klein also realized the existence of that benign dimension, expressed in her ideas of ‘wish to know’ and ‘empathy’, even though she did not develop these concepts in her published work.

Keywords: Melanie Klein, counter-transference, psychoanalytic process, psychoanalytic relationship, Bion.

Biografia Autor

Esmeralda Macedo, Instituto Superior Miguel Torga

Docente do ISMT.

Publicado
2010-10-31
Como Citar
[1]
Macedo, E. e Dias, C. 2010. Melanie Klein’s Concept of Counter-Transference Taken from Unpublished Material. Interações: Sociedade e as novas modernidades. 10, 19 (Out. 2010).
Edição
Secção
Artigos