Psicanálise , Psicoterapia, Epistemologia e Método Científico: Muitas Questões, Algumas Considerações

  • Carlos Amaral Dias Instituto Superior Miguel Torga

Resumo

As transformações do movimento psicanalítico são avaliadas, neste texto, em particular, a partir de uma comparação analítica entre a psicanálise e a física ou como ambas as disciplinas têm uma história de insatisfação com a ‘neutralidade’, objectivismo e reducionismo da ciência herdados do modelo das ciências da natureza. A psicanálise precedeu o que se passou noutras áreas científicas e hoje é popularmente constituído como uma referência à ‘nova física’, ou seja, a passagem da procura de certezas para sistemas probabilísticos de incerteza. Este percurso é observado através das transições entre Freud, Mélanie Klein e Bion. A ênfase é colocada nos fenómenos de transferência e contra-transferência como específicos do processo psicanalítico, simultaneamente enquanto prática terapêutica e interacção analítica, permitindo que o discurso analítico teológico ou transcendental (as transições entre a ‘Teologia da Ciência’ em Freud e a Ciência dos Deuses internos em Klein) ganhasse movimento em direcção a um discurso epistemológico próprio com Bion e sua noção de identificação projectiva na relação terapêutica.

Summary

The transformations of the pyschoanalytical movement are assessed in this text, particularly, in an analytical comparison between psychoanalysis and physics, or, as both disciplines have a history of nonsatisfaction with the assumptions of ‘neutrality’, objectivism and scientific reductionism, inherited from the model of the natural sciences. Psychoanalysis anticipated what happened in other scientific areas and today is popularly established as a reference to the ‘new physics’, that is, the passage from the search for certainties to probabilistic systems of uncertainty. This trajectory is observed, by this essay, via the transitions between Freud, Mélanie Klein and Bion. Emphasis is laid on the phenomena of transference and counter-transference as specific of the psychoanalytical process, simultaneously as therapeutic practice and analytical interaction, permitting the theological or transcendental analytical discourse (the transitions between the ‘Theology of Science’ in Freud and the Science of the Internal Gods in Klein) to move towards a proper epistemological discourse with Bion and his notion of projective identification in therapeutic relations.

Publicado
2001-10-27
Como Citar
[1]
Dias, C. 2001. Psicanálise , Psicoterapia, Epistemologia e Método Científico: Muitas Questões, Algumas Considerações. Interações: Sociedade e as novas modernidades. 1, 1 (Out. 2001).
Edição
Secção
Artigos